Ayra Consultoria

Design Thinking: Resolva problemas complexos em 5 passos

Muito se fala nos dias de hoje sobre “Design Thinking”, uma nova forma de resolver problemas complexos em apenas 5 passos. Mas o que de fato é isso? Em poucas palavras, é uma abordagem que busca a solução de problemas de forma coletiva e colaborativa, em uma perspectiva de empatia máxima com seus stakeholders. Ou seja, nela as pessoas são colocadas no centro de desenvolvimento do produto e/ou serviço, não somente o consumidor final. Sendo assim, a ideia que parte do Design Thinking junta aquilo que é desejável pelo cliente, com aquilo que é tecnicamente possível, além de ser viável e rentável para empresa. A partir disso, vamos, nesse texto, explicar cada uma das etapas que compõe o Design Thinking e como você pode executar essa poderosa técnica de resolução de problemas na sua empresa!

Fases do design thinking

Empatia

A primeira etapa do processo é a Empatia. Nesse contexto, o principal objetivo dessa fase é entender como cada stakeholder (pessoa que é diretamente afetada pelo produto, seja ele o consumidor ou o distribuidor do produto) enxerga o produto/serviço que está sendo estudado. Para isso, recomenda-se realizar entrevistas com cada um deles e entender seu contexto, os problemas que são mais relevantes do seu ponto de vista, como ele resolveria esses problemas e o motivo pelo qual ele ainda não resolveu (esse último tópico é mais voltado para o fornecedor do produto/serviço do que necessariamente para o usuário). Ademais, nessa etapa é muito importante começar com questões mais simples e ir aumentando o nível de complexidade à medida que o entrevistado se sinta mais confortável para responder. Outro ponto muito importante é a necessidade de se anotar tudo que foi dito, pois a próxima etapa necessita de todas essas informações.

 

Definir

Após realizada as entrevistas, todos os dados devem ser anotados em post-its, pois serão classificados e separados por temas. Chamamos isso de Diagrama de Afinidades. O objetivo desse recurso é perceber se existem temas que se repetem na maioria das entrevistas e, com base nisso, escolher o(s) problema(s) que vamos atuar. Como mostra a imagem abaixo, os cards devem ser separados fisicamente, criando Grupos.

Após essa etapa ser realizada, partimos para a criação de Personas. Nela, devemos personificar o nosso consumidor ideal, colocando, além de dados básicos (como idade, sexo, escolaridade, profissão, etc), quais são suas dores, expectativas e sonhos. Com base em todas essas informações, passamos para a terceira fase do Design Thinking.

Tema

Idealizar

Nessa etapa, iremos idealizar o novo conceito do nosso produto/serviço. Fazemos isso a partir de técnicas de brainstorming, como por exemplo, o SCAMPER. Essa é a sigla dada para “Substituir, Combinar, Adaptar, Minimizar, Pensar em outros usos, Eliminar e Reverter”. Esse é o resumo de linhas de pensamento que se deve ter com o produto/serviço desejado.

Vamos pegar como exemplo o repelente OFF. O que poderíamos substituir nele?
Poderíamos substituir a sua fórmula, para não causar irritação na pele

O que poderíamos combinar com ele?
Se combinássemos repelente com filtro solar, teríamos que passar menos um produto na nossa pele em regiões quentes e com bastante mosquitos.

E assim fazemos com cada uma das sete categorias do SCAMPER.

Após realizar a sessão de Brainstorming, o próximo passo é montar a Matriz de Priorização. Lá, todas as ideias levantadas nas sessões serão avaliadas através de dois eixos, que podem variar (custo X importância, dificuldade X Impacto, Tempo X Grau de Inovação, etc). Ela deve se parecer algo parecido com essa:

A(s) ideia(s) que devem ser levadas adiante devem ser a mais impactantes e que não possuam muitos custos, ou sejam muito complicadas.

Matriz de Priorização

 

Prototipação e Testes

Essas duas etapas finais tem a intenção de colocar em prática a ideia mais impactante da Matriz de Priorização. Em um primeiro momento acontece a prototipação, onde é criada uma versão mais rebuscada e improvisada da ideia, já que não deve ser gasto muitos recursos (dinheiro, tempo), em uma ideia que não se sabe ainda se será oficializada ou não. Após isso, acontece a fase de teste, onde esse protótipo é testado pelos diferentes stakeholders do produto/serviço, para que haja uma avaliação se a mudança foi efetiva e positiva ou não. Havendo um consenso, a ideia é colocada em prática e o protótipo é aperfeiçoado.

Gostou do Design Thinking? Muitas empresas utilizam essa técnica para resolver problemas complexos de suas realidades. Um exemplo muito famoso é da empresa IDEO, especializada em Design Thinking, que tentou reinventar o carrinho de compras, colocamos o vídeo abaixo!

Tem problemas com seu negócio? Entre em contato conosco clicando aqui! Temos diferentes soluções que podem te ajudar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *