Ayra Consultoria

Balanço Patrimonial

Balanço Patrimonial: Aprenda como fazer

Provavelmente você já ouviu expressões como os ativos, os passivos, os passivos onerosos, o capital próprio, o capital de terceiros e o patrimônio. Assim como, o exercício, de curto e longo prazo, dentre outras nomenclaturas também. Essas expressões estão ligadas a um demonstrativo muito importante para sua empresa, seus credores, seus funcionários e sua sociedade de uma forma geral chamado Balanço Patrimonial.

Muitos o conhece de forma mais profunda, inclusive tirando dele as análises pertinentes e importantes para o negócio com o auxílio de indicadores. Outros o conhece de forma não aprofundada, apenas de ouvir falar e que o balanço “tem que bater”. Outros sequer sabem para que serve: sabem que é um demonstrativo que a contabilidade faz e entrega aos órgãos competentes e só.

Assim, independente do seu nível de conhecimento e aproveitamento desse relatório, nosso objetivo é explicar conceitos essenciais sobre esse demonstrativo. Uma vez que, este tem importância fundamental para o negócio.

O que é patrimônio?

De forma mais conceitual, o patrimônio é o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma pessoa física ou entidade de qualquer natureza, com ou sem fins lucrativos (Marion, 2010). Ou seja, todos temos patrimônio! A empresa, pessoa jurídica, tem patrimônio. Assim como, você, pessoa física, tem patrimônio. Demais entes como organizações sem fins lucrativos também tem patrimônio. E esse patrimônio é o conjunto de bens e direitos, também chamados de ativos, mas também o conjunto de obrigações com terceiros e com os sócios e acionistas da empresa, chamados de passivos e patrimônio líquido. Seu cálculo, portanto, é feito a partir da equação patrimonial.

Ativo

Um ativo, de forma simplificada, é o somatório de bens e direitos. Bens, a nível empresarial, consistem em todo elemento que pode ser medido de forma econômica que está em posse da empresa. Essa mensuração de forma econômica é muito importante pois, apesar de você ter muito carinho e apreço pelo seu funcionário ou sócio, ele não é um bem da sua empresa. De acordo com as regras referente à patrimônios, não é possível ter a posse sobre outras pessoas. Então, o que se pode ter é uma prestação de serviço que entrará, como veremos mais à frente, na parte delimitada por passivos.

Assim, um bem é um imóvel, o maquinário, os produtos em estoque, etc. Enquanto, os direitos são aqueles elementos que são da propriedade da empresa, porém não estão em sua posse. Como por exemplo, o dinheiro guardado no banco, as aplicações financeiras, os empréstimos feitos a terceiros, etc.

Além disso, podemos definir o ativo como um recurso que a empresa controla, faz sua gestão, e que é resultado de um evento passado. Deste, portanto, se espera benefícios econômicos futuros. Ou seja, um ativo não surgiu do nada. Houve alguma ação no passado que deu existência a ele com o propósito de gerar benefícios no futuro. Este pode ser, por exemplo, aquele maquinário que foi comprado justamente para melhorar o processo produtivo. Como também, o dinheiro depositado em banco proveniente de aplicação dos sócios, os empréstimos ou a revenda de mercadorias que serão usadas, preferencialmente, de forma sábia no futuro para gerar mais retornos financeiros.

O Passivo e o Patrimônio líquido

O passivo e o patrimônio líquido são obrigações com terceiros e com os sócios e os acionistas. As obrigações para com terceiros se localizam no passivo e as obrigações para com os sócios e os acionistas se localizam no patrimônio líquido. Estas consistem em compromissos que a empresa assume para o seu bom funcionamento. Assim como, em salários a pagar, em empréstimos, em financiamentos, com fornecedores, com sócios e demais entes que aplicam recursos na empresa. Portanto, surge desta origem algumas nomenclaturas importantes para o mundo de negócios como o capital próprio, sinônimo de patrimônio líquido, e o capital de terceiros, sinônimo de passivo.

Algumas obrigações são exigíveis, quando são firmadas com terceiros: o banco, os fornecedores e os colaboradores. Como por exemplo, o seu pagamento tem um prazo atrelado. Outras não são exigíveis, como os sócios: a extinção dessa obrigação não tem um prazo definido.

Também definimos o passivo como obrigação da entidade gerada por eventos já ocorridos, como as horas de serviço prestada pelo colaborador, e se espera que no momento da sua liquidação esses recursos tenham gerado benefícios econômicos. O patrimônio líquido é o resíduo dessa relação entre os ativos e os passivos! É o que sobra dos ativos depois que deduzimos os passivos.

Com isso, podemos abordar a forma como esses três elementos se relacionam.

Relação entre o Ativo, o Passivo, o Patrimônio Líquido e a Equação Patrimonial

O ativo e o passivo mais o patrimônio líquido representam a origem e a aplicação de recursos. Para um ativo existir, tem que haver uma origem. A origem se encontra destacada no passivo e no patrimônio líquido. Por sua parte, o passivo e o patrimônio líquido precisam de uma razão para existir. Sua razão se encontra no ativo. Um balanço patrimonial traz consigo justamente essa ideia de balança: toda aplicação tem uma origem e toda origem se destina a uma aplicação. É um sistema fechado que se interliga. Deste se origina e pode ser expresso pela equação patrimonial:

Ativo – Passivo = Patrimônio Líquido, logo

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido

Como exemplos dessa relação, podemos apresentar os seguintes casos:

Duas pessoas formam uma sociedade empresária e cada uma deposita R$500.000,00 em uma conta bancária aberta em nome da empresa. A empresa, nesse momento, terá um direito, um ativo total de R$1 milhão depositados no banco cuja origem foi o capital dos sócios, também chamado de capital social, localizado no patrimônio líquido.

Uma empresa comprou R$500,00 em estoque a serem pagos a prazo. A origem do estoque, do ativo, foi o fornecedor, o passivo.

Dessa dinâmica que se origina a expressão comum de que o balanço tem que “bater”.

Estruturação do Balanço Patrimonial

Por convenção, os ativos se encontram relacionados ao lado esquerdo do balanço patrimonial e o passivo e o patrimônio líquido ao lado direito, conforme a seguir:

Estrutura do Balanço Patrimonial

Como exposto, o balanço patrimonial se subdivide em circulante e não circulante. Essas classificações estão relacionadas ao ciclo operacional. O ciclo é o tempo que se espera para o ativo ser consumido ou recebido e um passivo pago. Convencionalmente, esse ciclo representa 12 meses. Exercício social é o mesmo que ciclos. Os circulantes serão aqueles ativos que se espera o consumo ou o recebimento dentro de 12 meses. Os demais, em não circulante. O mesmo vale para o passivo, onde aqueles que se espera liquidação em até 12 meses, circulante. Os demais, não circulante. É o curto e o longo prazo.

Como avaliar a situação patrimonial da empresa

Existem quatro situações que um patrimônio pode se encontrar. Sendo eles: o Favorável, a plena ou a de propriedade, a nula ou a de equilíbrio e a desfavorável ou o passivo a descoberto. Esses cenários revelam muito sobre a saúde financeira da empresa.

Situação Favorável

A situação favorável é aquela em que o somatório dos ativos é maior que o somatório do passivo e o patrimônio líquido é positivo. Assim, essa situação é favorável porque os ativos serão capazes de pagar os passivos. Um exemplo disso é um total de R$15.000,00 divididos entre o dinheiro em caixa e as mercadorias, como os ativos, e R$3.000,00 de obrigações com terceiros (os fornecedores e os salários) como o passivo, mais R$12.000,00 divididos entre os lucros acumulados e o capital social.

Situação Plena ou de Propriedade

A situação plena ou de propriedade é aquela em que não existem capitais de terceiros, apenas ativos e patrimônio líquido. Não existe nenhuma obrigação exigível, com data de liquidação. O somatório entre o patrimônio líquido e o passivo é igual a zero. Como exemplo, podemos ter os mesmos R$15.000,00 divididos. Parte de dinheiro em caixa e, o restante em mercadorias totalmente financiados pelo capital social.

Situação Nula ou de Equilíbrio

A situação nula ou de equilíbrio é aquela em que não existe capital próprio, apenas o de terceiros. O ativo é igual ao passivo e o patrimônio líquido é igual a zero. Seguindo o exemplo anterior, aqueles R$15.000,00 em ativos seriam provenientes de contas no passivo. Como os empréstimos, os fornecedores e as demais obrigações a pagar como os salários.

Situação Desfavorável

A situação desfavorável ou passivo a descoberto acontece quando o ativo é menor que o passivo, trazendo um patrimônio líquido negativo. Essa situação costuma ocorrer quando existem prejuízos acumulados de tal forma que supera o capital dos sócios e sobra apenas as obrigações com terceiros a pagar. Por exemplo: R$15.000,00 em ativos. R$18.000,00 em passivos. R$3.000,00 em prejuízos. R$15.000,00 = R$18.000,00 – R$3.000,00.

Conclusão

O assunto balanço patrimonial é muito interessante e complexo. Dele, podem surgir, portanto, as análises profundas do negócio. Além, da situação patrimonial, como a análise de indicadores. Deseja receber mais conteúdos como este, então faça parte do nosso canal do Telegram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *